Notícias

Homenagem aos heróis socorrenses da IIGM

No próximo dia 19 de novembro, está previsto descerramento de uma placa em homenagem aos pracinhas da FEB na cidade de Socorro-SP. A iniciativa é do pesquisador Derek Destito Vertino, licenciado em História e pós-graduando em História Militar.

A Inauguração da placa é uma homenagem aos veteranos da Segunda Guerra que representaram a cidade de Socorro na Itália. O evento está aberto ao público e contará com a presença de familiares dos ex-combatentes, políticos e admiradores em geral.

Tal homenagem é a segunda vitória de Derek Destito Vertino no resgate da memória dos pracinhas socorrenses. Em maio, por influência direta do seu livro Da Glória ao Esquecimento, a Câmara Municipal de Socorro aprovou e incluiu o Dia da Vitória (8 de Maio) no calendário oficial da cidade. O livro é dividido em dois capítulos: no primeiro capítulo é feita uma abordagem genérica sobre a Segunda Grande Guerra; no segundo, é exposta a biografia de cada veterano e a cobertura da imprensa local sobre o assunto e, finalizando, há uma reflexão sobre o nazismo na região das Águas Paulista.

Segundo Derek, a idéia de pesquisar sobre os veteranos da Segunda Guerra Mundial surgiu através de um estágio realizado no Museu Municipal. Nesse período, ele encontrou um trabalho escolar, de um colégio municipal, sobre o veterano Thomas Borim. A partir desse material, foi feita uma pesquisa levantando os nomes dos demais pracinhas da cidade: Benedito Vaz de Lima, Luiz Granconato, Manfredo Lugli e Ramiro Zucato. Na seqüência, Derek elaborou um projeto para a construção de um monumento em homenagem aos veteranos.

O historiador conta que em outras cidades da região existem monumentos em memória aos veteranos da FEB, e o Dia da Vitória é comemorado por meio de sessões solenes. Munido do resultado da sua pesquisa, o autor participou de reuniões com a Prefeita e alguns vereadores, que se mostraram entusiasmados com o projeto. No Portal FEB, encontram-se diversas fotos oriundas da pesquisa de Derek.

Ao término da II Guerra Mundial, as cidades brasileiras acolheram os seus filhos combatentes com um profundo reconhecimento e calor humano. Fosse na Capital Federal ou na pequena cidade paulista de Socorro, as imagens históricas não deixam dúvida do grau de respeito e admiração da população local. Entretanto, a poeira do tempo cobriu as glórias e os feitos dos seus veteranos. Nas décadas seguintes, excluindo a memória autobiográfica e raríssimas exceções, a literatura, o cinema e os círculos intelectuais e acadêmicos, em geral, ignoraram a epopéia da Força Expedicionária Brasileira: algo típico de uma cultura onde o heroísmo e a luta por um ideal valem pouco — pelo menos com relação aos ideais que não lhes convém.

Recepção aos pracinhas socorrenses em 1945: a pequena cidade paulista acolheu seus filhos dignamente no retorno da guerra

A cidade de Campinas, por exemplo, a 3ª maior cidade do mais rico estado brasileiro, notável pólo de desenvolvimento econômico e cultural, entregou 328 dos seus filhos à luta contra o nazi-fascismo, muitos dos quais não retornaram para suas famílias. Contudo, o primeiro livro sobre os veteranos campineiros foi publicado apenas em 1998 — 43 anos após a guerra— pela própria associação de veteranos da cidade. Em 2010, o professor Jefferson Biajone publicou o livro Pracinhas Campineiros: um notável trabalho realizado junto aos seus alunos da EsPCEx, entrevistando os remanescentes da FEB na cidade.

Pobre da Nação que projeta o seu futuro desprezando os nobres valores do ser humano. Ilude-se o país que almeja ser rico, desenvolvido, forte e respeitado, unicamente pelo crescimento da sua economia, pois os frutos dessa riqueza hão de escoar sempre pela garganta faminta e insaciável da corrupção.

Parabéns ao historiador Derek Destito Vertino e à Prefeitura de Socorro pelo resgate desse episódio histórico. Que essa iniciativa sirva de exemplo e inspiração à nova safra de historiadores brasileiros.

“CONSPIRA CONTRA A SUA PRÓPRIA GRANDEZA O POVO QUE NÃO CULTIVA OS SEUS FEITOS HISTÓRICOS”


Categorias:Notícias

2 respostas »

  1. Uma salva de tiros de canhão por a cidade de socorro não se ter esquecido dos seus herois,da minha parte deixo esta linda frase do grande brasileiro e português padre ANTÓNIO VIEIRA,citada centenas de anos atrás mas sempre actual
    “Há homens que são como as velas; sacrificam-se, queimando-se para dar luz aos outros.”
    grande abraço para todos
    o amigo de portugal
    rui estrela
    leiria
    portugal

    Curtir

  2. Que noticia maravilhosa!
    Parabéns ao historiador Derek e ao povo socorrense pela merecida homenagem aos pracinhas.
    A cobra tem que continuar a fumar.
    Obrigada!

    Curtir

Deixe uma resposta para Zenaide Maria Tavares Duboc Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s