História da FEB

A Cobra Começa a Fumar

Fig. 1 – O general Mascarenhas de Moraes (à esquerda) acerta os detalhes da substituição das tropas norte-americanas com militares estrangeiros. Contam com o auxílio de uma carta topográfica estendida sobre o capô de um jipe.

A MISSÃO

Na noite de 13 de setembro de 1944, aconteceu o evento para o qual os brasileiros há tantos meses se preparavam: a ordem de entrada em linha para o combate. O general Zenóbio da Costa, comandante do Destacamento FEB (6th Combat Team para os norte-americanos), recebeu a missão de deslocar-se para uma zona de reunião em Ospedaleto, ao sul de Pisa. A tropa nacional deveria substituir elementos do 2º/370º RI e do 434º GAAAe, às 19 horas de 15 de setembro, na região de Vecchiano-Massaciuccoli-Filettole. Chegara a vez de os pracinhas avançarem sobre a famosa Linha Gótica. Eis a missão recebida:

Manter contato com o inimigo e sondar-lhe o dispositivo por meio de vigorosas ações de patrulha. Caso o inimigo se retire, persegui-lo mediante ordem deste Corpo de Exército. Manter contato com a 1ª Divisão Blindada, que opera a Oeste.

Tratava-se de cumprir uma missão simples, numa larga frente, a cavaleiro do divisor de águas balizado pelo Mar Tirreno a Oeste e o Rio Serchio a Leste, cujo terreno, extremamente acidentado, rochoso e ravinoso, elevava-se gradativamente, de 300 metros de altitude, na linha de partida, a 1.300 metros no Monte Prana, fazendo antever caminhadas longas e fatigantes.

Como, no momento, não houvesse nenhum contato entre as tropas norte-americanas, a serem substituídas, e os alemães, tratava-se, inicialmente, de procurá-lo a fim de dar segurança a este debilitado flanco do Exército, por onde, em breve, correria, paralelamente e a poucos quilômetros da frente, a sua estrada principal de suprimentos, balizada pela linha Livorno-Florença.

Dentro do seu setor, o Destacamento teria toda liberdade de ação para vasculhar e, se possível, fixar as forças inimigas que encontrasse no seu caminho. Em caso de perseguição, entretanto, deveria aguardar ordens do 4º Corpo de Exército, porque isso implicava numa coordenação mais ampla e profunda de todas as forças que se encontravam desdobradas ao longo da extensa frente do Exército.

Fig. 2 – Generais Zenóbio da Costa (à esquerda) e Mascarenhas de Moraes (a seu lado) tratam com dois oficiais norte-americanos (um deles da 92nd Division) debruçados sobre uma carta topográfica da Toscana. Apontam para a região de atuação do Destacamento FEB, entre o Mar Tirreno e o Rio Serchio, visíveis no documento.
Fig. 3 – Três militares brasileiros (um sargento, à esquerda; 1º tenente, ao centro; e outro oficial sentado) do 6th Combat Team apontam para os locais de substituição das tropas dos EUA).

AS CARTAS TOPO DA FEB

Camaiore, Filettole, Massarosa, Monte Bastione, Pisa, Quinta de San Rossore, Vecchiano, e tantas outras localidades da Toscana fazem parte das lembranças dos nossos pracinhas e da História Militar do Brasil. Todavia, não passam de referências geográficas vagas para a maior parte do público que aprecia a memória do Brasil na guerra. A região de operações mudou bastante após 75 anos do final da guerra, fruto da urbanização crescente, dificultando sua localização nos mapas civis atuais. Mesmo os livros nacionais mais detalhados sobre a Campanha da Itália apresentam esboços limitados da área onde o Destacamento FEB teve o seu batismo de fogo, bem como de suas operações no terreno. Afinal, onde ficam estes locais? Como resgatar essa memória tão cara ao Exército Brasileiro?

No aniversário de 76 anos da entrada em linha dos nossos pracinhas, garimpamos em arquivos estrangeiros as cartas topográficas utilizadas pelos Aliados — inclusive pelo Destacamento FEB — na região da Toscana. Oferecemos ao leitor reproduções desse raro material histórico em nossa loja virtual e também no Mercado Livre. (cartas topográficas nas escalas 1:250.000 e 1:50.000). Trata-se de um material histórico raro, dedicado aos estudiosos e colecionadores de militaria ligada à Força Expedicionária Brasileira.

Publicadas em 1943, pelo Departamento de Guerra dos EUA, as cartas topográficas da Toscana foram imprescindíveis para apoiar o Comando brasileiro na condução e no planejamento das operações do 6th Combat Team. Para melhor orientar o interessado no uso desse material, nossas reproduções estão acompanhadas por uma folha de papel vegetal, com os calcos das operações do Destacamento FEB (14 a 28 de setembro de 1944). As cartas estão com preço promocional de lançamento e frete grátis em nossa loja virtual, sendo enviadas dobradas em envelopes grandes. Para o envio das folhas em tubo de papelão e/ou impressão em outras gramaturas, faça a sua cotação pelo e-mail: contato@insightbrasil.net

Nosso Blog oferece reproduções de cartas topográficas da Segunda Guerra Mundial para colecionadores, estudiosos e reenactors — material inédito no Brasil.

Referência:

Ten Cel Manoel Thomaz Castello Branco. O Brasil na II Grande Guerra, pp. 191-192.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s