História da FEB

Homenagem ao Tenente Ary Rauen

Placa em homenagem ao tenente Ary Rauen, inaugurada em Montese nesta semana.

O público brasileiro certamente não encontrará na grande mídia os eventos narrados nesta postagem. Com relação ao Exército Brasileiro, as redes de TV e os jornais aparentam estar mais interessados em espargir desinformação em torno da compra de comprimidos de Viagra e próteses penianas (pagos integralmente pelos usuários do sistema de saúde da Força Terrestre) do que realizar a sua tarefa básica: informar. Pouco de útil se espera da velha imprensa. Contudo, graças às redes sociais, podemos divulgar um evento de grande simbolismo promovido pelo povo irmão italiano.

Por iniciativa do pesquisador italiano Giovanni Sulla, foi inaugurada em Montese, em 25 de abril de 2022, uma placa em memória do 2º tenente Ary Rauen, oficial comandante do 2º pelotão pertencente à 1ª Cia do I Batalhão do 11º Regimento de Infantaria. “Voluntário de origem tedesca que deu a vida para a liberdade e a democracia da Itália”, diz a inscrição na placa. Nosso blog teve o privilégio de contribuir para essa pesquisa histórica.

Ary Rauen: homenagem ao herói da FEB

Nascido em Papanduva (SC), em 20 de maio de 1922, o oficial foi um dos protagonistas do nosso documentário Batismo de Fogo. Mais de 70 anos após o término da Segunda Grande Guerra, seu destemor ainda era lembrado pelos veteranos da FEB. Ary Rauen faleceu em 14 de abril de 1945, liderando o ataque que arrancou Montese da mão dos nazistas. Consta o seguinte na citação da medalha que lhe foi concedida post mortem, a Cruz de Combate de 1ª Classe:

Uma das raras imagens do destemido catarinense, descendente de alemães.

À frente de sua unidade, conduzia e impulsionava com grande motivação e entusiasmo seus subordinados para cumprir a missão principal que recaíra sobre sua subunidade. Foi o primeiro elemento lançado com seu pelotão contra a posição mais defendida de Montese. Procurava penetrar nas defesas inimigas pela borda sudeste daquele ponto. A reação dos alemães era significativa. Mesmo quando sua tropa era violentamente hostilizada pela barragem de artilharia e armas automáticas do adversário, não esmoreceu e, sem se intimidar, lançou-se à luta com denodo e bravura à frente de seus homens, Quando, com mais dois homens, procurava assaltar uma posição inimiga, foi atingido mortalmente na testa, tombando ali para não mais se reerguer.

A inauguração da placa fez parte dos eventos da Festa della Liberazione, tradicionalmente comemorada em 25 de abril, que festeja a libertação da Itália do jugo totalitário. O vídeo e as fotos a seguir nos foram gentilmente enviadas por Giovanni Sulla, membro do Grupo Storico Fratelli Sulla Montagna, registrando as atividades ocorridas em Montese, Gaggio Montano, Pistoia e outras localidades:

Comemoração italiana pelos 77 anos da libertação do jugo totalitário.

Damos os parabéns pela iniciativa ao amigo Sulla — um cadeirante e incansável promotor da memória da Força Expedicionária Brasileira— pelo resgate dessa memória tão preciosa quanto relevante. Não fosse a distinção concedida pelo Exército em 2005, que deu ao 5º Regimento de Carros de Combate a denominação histórica de Regimento Tenente Ary Rauen, do nome de batismo de uma escola estadual (SC), e de uma rua em São Gonçalo (RJ), fora da literatura especializada a trajetória do bravo catarinense seria praticamente desconhecida no Brasil.

Felizmente, hoje não dependemos mais da grande imprensa para conhecermos os nossos verdadeiros heróis.

Gostou do post? Compartilhe a matéria nas mídias sociais, dando o devido crédito ao texto e imagens. Seja um seguidor/assinante do nosso Blog:

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s